Tópicos

Aula 1 – Abrindo a caixa preta
Astrofotografia e colisão de
Eadweard Muybridge e Étienne-Jules Marey

Aula 2 – Provocações e discussão
Fazer visível: imagem e fotossíntese
Frank Hurley – A experiência do Endurance
Conversa sobre ensaios dos alunos I

Aula 3 – Provocações e discussão
Andreas Gursky, Cao Guimarães
Conversa sobre os ensaios dos alunos II

Aula 4 – Reflexões e Conexões
Conversa sobre os ensaios dos alunos III
Controle e acidente
Pontes e desvios

O que trazer

aluno é convidado a trazer um ensaio de 5 a 12 imagens para apresentação e conversa coletiva (impresso ou em arquivo digital)

Infos

Workshop [12h]
13, 20 e 27 de setembro
11 de outubro
19h às 22h [quarta-feira]
2x R$ 245,00

Descrição

A imagem fotográfica desempenha forte papel na elaboração de teorias e descrições de mundo no campo da ciência. Já em nosso cotidiano, a fotografia se fortalece como linguagem cada vez mais presente. E muitas vezes nos distanciamos do caráter experimental intrínseco do processo fotográfico, para além do aparato e do suporte. Se na ciência a fotografia é recurso de transcrição objetiva, como na medicina e na física, no campo da arte a imagem pode transpor seu objeto e provocar experiências insuspeitas na realização de seu sentido.

O curso tem por objetivo debater o processo fotográfico como uma caixa preta registradora da realidade para promover o debate da fotografia como dispositivo disparador de novas conexões. Para isso, faremos uma sobreposição de imagens científicas, ensaios de fotógrafos de referência e ensaios dos próprios alunos para perceber o quanto a aparente solidão do fotógrafo pode ser uma experiência conectiva, aberta na relação com o outro, entre o documento e a ficção, para a criação de novas realidades. Em outras palavras, a fotografia como relação experimental entre fotógrafo e objeto, mediada por um aparato, que resulta em relações porosas entre obra e mundo.

Inscrição

Feco Hamburger

Feco Hamburger nasceu em 1970 em São Paulo, onde vive e trabalha.

Fotógrafo, artista e professor com crescente interesse em outras mídias, desenvolve obras em que o sentido da experiência se articula sobre o processo e a obra final.

Seu trabalho no campo da arte trama uma relação visível com a natureza das coisas e com o contraditório, explorando a percepção do tempo, as porosidades do encontro com o outro, a transformação do objeto pelo olhar.

Estudou Física na Unicamp e Linguistica na USP e aproximou-se da fotografia no laboratorio fotográfico São Paulo, onde especializou-se em fine-art printing. Trabalhou como assistente de Bob Wolfenson por 4 anos, quando abriu seu próprio estúdio, fotografando Brasil adentro e mundo afora para inumeras revistas, capas de livros e discos, e agências de publicidade.

Seu trabalho já foi exposto na Pinacoteca do Estado de São Paulo, no Museu de Arte Moderna e no Paço Imperial, no Rio de Janeiro.

Possui obras no acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo e na Coleção Itaú de Fotografia Brasileira.  Recebeu o Premio Abril de Jornalismo na categoria melhor ensaio fotográfico e menção especial no Premio Brasil de Fotografia.

Ministra cursos e workshops porque acredita que a partilha é necessária.

Compartilhe isso: