Tópicos

* Como a fotografia de paisagem está atrelada a questões de representação da cultura, de identidade e de noções de espaço;
* As diferentes abordagens possíveis da natureza como abstração, imitação, design, ecologia e mundos fictícios;
* Análise dos trabalho de artistas como Roni Horn, Peter Fischli, David Weiss, Adam Fuss e Olafur Eliasson, Miguel Rio Branco, Rodrigo Braga entre outros e a apresentação do seu portfolio de paisagens.

O que trazer

* Portfólio
* Computador portátil (opcional)

Infos

Workshop [9 horas]
Envie o formulário de inscrição para ser avisado sobre próximas turmas
19h às 22h [sexta-feira]
10h às 17h [sábado]
R$ 480,00

Em breve, nova turma

Descrição

“Imaginar caminhos é como sonhar. Um ato descontínuo, ambíguo e ilusório. Ao construir paisagens, pensamos na ideia, quase sempre, de um território desejável. A imagem que formulamos destoa da natureza como ela se coloca para nós. Pensar por imagens é tracejar a forma de um tempo e de um espaço intermediários, que ficam no meio, no hiato da sugestão, de narrativas imaginárias, pelas quais apreendemos a subjetividade dos lugares”. É assim que a pesquisadora Georgia Quintas tenta definir a obra da fotógrafa Claudia Jaguaribe.

Com formação em história da arte, artes plásticas e fotografia, Claudia tem um trabalho extremamente representativo das práticas multifacetadas e da diversidade da fotografia contemporânea. Nos últimos sete anos, voltou-se para a questão da paisagem como reinvenção da natureza. Este é o tema central deste workshop: propor um diálogo sobre a representação da paisagem na arte contemporânea.

* Foto: Claudia Jaguaribe

Inscrição

Claudia Jaguaribe

Desde 1988 a carioca Claudia Jaguaribe participa de exposições nos principais museus e galerias do Brasil e exterior. Sua produção se caracteriza por uma intensa pesquisa plástica que utiliza diferentes mídias para lidar com diversas questões da contemporaneidade. Nos últimos 6 anos, com a série Quando eu vi, voltou-se para a questão da paisagem como reinvenção da natureza. Em 2010 recebeu o prêmio Marc Ferrez de fotografia da Funarte pelo projeto O seu caminho.

Foi nomeada para o Prêmio Pictet de Fotografia de 2010 e seu trabalho foi selecionado para o livro Growth. Seus trabalhos estão nas principais instituições de arte contemporânea, públicas e privadas, brasileiras e no exterior: Coleção Itaú Cultural, MAM, MASP, Instituto de Arte Contemporânea Inhotim, Maison Européenne de la Photographie, entre outras.

Compartilhe isso: