Tópicos

1ª aula (3 horas): Curso teórico da história da arte de intervenção no espaço público, introduzindo noções de ética a partir de textos de Debord, Foucault, Rancière, Didi-Huberman e Deleuze. Coletando referências aos bairros dos estudantes para escolher qual visita em grupo.

2ª aula (3 horas): Passamos a noite na rua a caminhar tomando notas, em busca do que poderá interessar ao trabalho de cada aluno ou, eventualmente, um trabalho de grupo.

3ª aula (dia inteiro): Da parte da manhã nova saída para a rua sem câmara para apreciar a diferença de pessoas e situações de dia. Da parte da tarde cada aluno cria seu projeto individual o coletivamente, no CEI o a rua. As obras podem ser ação de rua, performance, instalação, fotografia, tratamento do imagens trocadas no internet.

Todas serão apresentadas no final no CEI ou realizadas no lugar, em função de cada formato.

O que trazer

Os participantes devem trazer 10 fotos de sua vizinhança e 5 linhas de texto resumindo um problema particular de seu bairro. Podem ser trazidas cópias impressas e/ou apresentações digitais.
Na duas primeiras aulas trazer caderno, lápis e caneta para anotações, para última aula no sábado a tarde, trazer ferramenta necessária para o seu projeto (câmara, computador, papel, objetos, etc.)

Infos

Workshop [13 horas]
25, 26 e 27 de fevereiro
19h às 22h [quinta e sexta feira]
10h às 18h [sábado]
2 x 175,00

O workshop será em espanol

Descrição

Imagem_Performance_Documento_Arte

A curadora francesa e professora de história da arte do badalado Centro de la Imagen de Lima-Perú, Patrícia Ciriani, propõe aos participantes deste workshop caminhadas a deriva sem camera para fotografar mentalmente as questões do bairro Vila Madalena. Fazer a sua avaliação e depois discuti-las em grupo para identificar lugares para um intervenção em qualquer formato tais como, entre muitos outros possíveis: fotografias, performance, instalação e o uso do google street.

Este registros e as possíveis ações serão apresentadas no final do curso ao público da escola.

No momento em que a Vila Madalena se torna bairro espetáculo um olhar estrangeiro norteando as reflexões  nesta proposta imperdível.

Publico alvo:
Fotógrafos, arquitetos, bailarinos, atores, poetas, artistas plásticos, músicos…

Importante
Este curso oferece bolsas de 20% a 100% de acordo com a necessidade dos participantes.
Para concorrer as bolsas envie email para contato@madalenacei.com.br com uma curta carta de intenção abordando o porquê da escolha do curso/workshop, as expectativas de estudar aqui e porque e precisa da bolsa; mencione também qual é o desconto pretendido.

Foto: Sara de Santis

Inscrição

Patricia Ciriani

Nascida em Paris, Patricia Ciriani se formou, incluindo mestrado em história da arte, na Sorbonne. Depois de uma licenciatura em Inglês, e organizou grandes exposições do Centro Pompidou, o Musée des Arts et Métiers e do Ministério das Relações Exteriores. Em seguida, em 2006 mudou-se para Barcelona, ​​onde coordenou exposições transdisciplinares no MACBA e CCCB, ganhou uma pós-graduação de planejamento e fez diversos trabalhos como free-lancer para várias mostras, eventos, uma revista digital e um programa de rádio relacionados com a arte, arquitetura, cinema, dança e música, vídeo arte, feminismo. Ela fundou o Festival Lilliput no centro histórico de Barcelona, que teve 3 edições, de 2009 a 2011, e contou com a participação de artistas internacionais de todas as disciplinas.

Em 2011 ela decide atravessar o oceano e ir onde os seus pais nasceram: Lima (Peru) . Que começou a prática da professora de história da arte, com um foco particular sobre a teoria da imagem e arte pública, visando a historiadores, arquitetos, artistas, fotógrafos e amadores em geral.

O espaço curatorial concebido como uma utopia, onde reinventar o mundo. Assim, propõe-se curadorías em Lima, em colaboração ativa com os artistas. Seu último show foi a cidade de Lima como um campo de confrontação positiva e levantou alguma controvérsia no seu conceito teatral, criando uma atmosfera espacial tão esmagadora como o pulso da capital peruana.

Elaborou o conceito de museu do Museu Nacional, em Lima, sob uma abordagem radicalmente decolonial abrangendo 300 peças de arte sem distinção entre suas fontes arqueológicas, etnográficas e contemporâneos.

Conheça mais sobre o seu trabalho  – Arte Con Ciudad, un seminario de urbanismo experimental

Foto: Sara de Santis

Compartilhe isso: