Tópicos

O que trazer

Os alunos devem trazer séries de imagens em processo, no mínimo 15, para refletir em conjunto com o professor e os alunos do workshop sobre o sentido e as múltiplas possibilidades de edição.

Infos

Workshop [12 horas]
25 e 26 de abril
10h às 16h [sábado/domingo]
US$120

Local: Universidad de las Artes
Guayaquil, Equador.

Descrição

INTENSIVO DE EDIÇÃO EM GUAYAQUIL, EQUADOR: quem tiver um trabalho pronto para ser editado, prepare-se para entrar na roda de discussão com os parceiros da GY-ON!

Uma imagem possibilita diversas interpretações e permite que a imaginação voe em múltiplas direções. É no conjunto de fotografias que se define o sentido e a ideia do que se quer construir e transmitir.

Na era digital é cada vez mais fácil fabricar imagens, mas cada vez mais difícil encontrar nelas sentidos e construir narrativas eficazes. Sem dúvida o grande desafio do fotógrafo contemporâneo é saber editar seu próprio trabalho e encontrar mecanismos visuais para transmitir suas ideias. O objetivo deste workshop é formatar o sentido de uma série fotográfica e encontrar mecanismos para esgotar possíveis interpretações.

GY-ON é um grupo estabelecido em Guayaquil, Equador, nascido com a intenção de ampliar o espectro visual da cidade através de oficinas, exposições e conferências. Desde março, e com o apoio do “Premio de Fotoperiodismo por la Paz, Juan Antonio Serrano”, várias atividades relacionadas à cultura visual têm sido desenvolvidas, como uma roda de imprensa dedicada à convocatória, a exposição do fotógrafo Diego Pallero e a oficina com Claudi.

+ info aqui:

http://www.fotoperiodismoporlapaz.com/

https://www.facebook.com/gyon.propuestadelovisual

Inscrição

Claudi Carreras

Curador e editor independente, assim como pesquisador de fotografia formado em Belas Artes pela Universidade de Barcelona, doutorando em Arte e Cultura de Mídias. Em 2007 publicou o libro Conversas com fotógrafos Mexicanos pela editora Gustavo Gili, de Barcelona. É autor da série Autorretrato de América Latina, publicada em 2006 e 2007 na revista do jornal La Vanguardia, de Barcelona.

Carreras foi curador de diversas exposições: Cuba Mía, Front3era, Transnacionale(es) e Estaciones. Recentemente assinou a curadoria de Laberinto de miradas: um percurso pela fotografia documental em Ibero América, da Agência Espanhola de Cooperação Internacional e Desenvolvimento – AECID, e Casa América Catalunha, que viajou para 18 países latino-americanos e Espanha em 29 itinerâncias. Resiliência, exposição do Instituto Cervantes ganhadora do Prêmio do público El Mundo como melhor exposição da edição 2009 de PhotoEspaña, foi inaugurada em Madri, Chicago, Nova York, Nova Délhi, Roma, Istambul, Tetuán e Tange

Foi diretor do 1° Encontro de Coletivos Ibero-americanos realizado em São Paulo em 2008 e também é diretor do projeto E·CO do Ministério de Cultura de Espanha; projeto expositivo que gerou o primeiro Encontro de Coletivos Fotográficos de Europa e América Latina, que depois de itinerar por Espanha e Brasil em 2011, está viajando por várias cidades dos EUA, incluindo Washington, DC e Chicago.

Foi o curador da 8ª e 9ª  edição do Paraty em Foco – Festival Internacional de Fotografia (Rio de Janeiro). É assessor e curador do Fórum Ibero-americano de Fotografia de São Paulo, foi o curador para América Latina da edição da bienal Photoquai (Musée du Quai Branly, Paris), em 2013, e curador/ editor do projeto LatinUs Photo Latino USA desenvolvido para Spain USA Foundation em colaboração com a National Portrait U.S. e Smithsonian Latino.

Desde o começo de 2012 reside em Brasil coordenando e dirigindo novos projetos do Estúdio Madalena, São Paulo.

Compartilhe isso: