Tópicos

-Meditações ativas,
-Exercícios de Bioenergética e de fotografia
-Leitura de portfolio coletiva

O que trazer

Traga sua câmera e seu portfolio. Venha com uma roupa de ginástica confortável, pois estaremos trabalhando bastante com o corpo.

Infos

Workshop [15 horas]
20, 21 e 22 de maio de 2016
19h às 22h [sexta-feira]
10h às 17h [sábado/domingo]
2x R$ 337,50

Descrição

Nesse workshop vamos mostrar um caminho para ir além das ideias e soluções que estão cristalizadas em seu repertório fotográfico e abrir espaço para o espontâneo e o novo. Através de uma série de exercícios vivenciais e fotográficos você vai criar um acesso mais direto com seus canais criativos, conectar com sua intuição e entender a fotografia como uma prática de profunda conexão com seu ser e parte da sua jornada interior.

 Ao invés de focar em teoria ou técnica nesse final de semana você vai sentir seu corpo e emoções em exercícios que vão te  ajudar a enxergar seus pontos cegos e ir além dos limites auto impostos nos quais você restringe sua criatividade.

Inspiração não é algo que ficamos esperando cair do céu, ela surge quando fazemos nossa lição de casa e abrimos o campo para que ela aconteça. E inspirar também é trazer o ar para os pulmões, ar é vida, e vida é criatividade. Vamos trabalhar muito com nossa respiração e sua conexão com o fluxo criativo: quanto mais intensa uma, mais intensa será a outra.

 O trabalho se apoia em quatro pilares:

-Palestras: sobre criatividade, fluxo emocional e o nosso corpo. Também discorreremos sobre como nosso conteúdo inconsciente se apresenta na nossa fotografia.

-Exercícios de criatividade: Além da  fotografia também usaremos texto, pintura, o corpo e o que mais for interessante para essa turma. Aprender ao fazer é o processo mais antigo de se passar conhecimento, e nos ajuda a lembrar que somos mais que a nossa mente. Se mover em direções não conhecidas é a melhor maneira de sair da estagnação.

-Meditações ativas e terapia bioenergética: Tanto a terapia Bioenergética quando as meditações ativadas do mestre indiano Osho foram criadas com o intuito de ajudar a reestabelecer a espontaneidade na expressão dos sentimentos. Ao expressar nos esvaziamos e abrimos espaço para o novo.

-Leitura coletiva de portfolio: todo processo criativo traz um grande conteúdo do nosso inconsciente.  Trazer essa informações para nossa consciência pode ajudar o trabalho a crescer e aprofundar.  Ouvir como os outros recebem nossas imagens pode nos ajudar a diminuir a distância entre o que achamos que estamos dizendo e como a imagem é realmente percebida.

Luz é energia e a fotografia é uma linda metáfora de como somos responsáveis pela nossa realidade: a maneira com que observamos algo transforma essa realidade, no mesmo momento em que ela está nos transformando. Podemos usar a fotografia como um veículo que vai além das palavras, para nos trazer mais perto de nós mesmos e do mundo em que vivemos.

Como estaremos trabalhando profundamente nossa estrutura emocional, o workshop é desaconselhado para pessoas com um histórico de epilepsia, doenças do coração ou neurológicas, e para aqueles tomando remédios antidepressivos ou ansiolíticos.

 

Foto: Calé

Inscrição

Calé

Fotógrafo profissional há 17 anos, Calé estudou arquitetura na FAU-USP e já passeou por quase todas as praias da fotografia: teve seu trabalho impresso em publicações como Newsweek, National Geograhpic, NY Times, Trip, Vogue e muitas outras; fotografou catálogos de moda para Leeloo, Salinas, Maria Filó; e teve grandes clientes comercias como o Petrobrás, Banco Icatu e a Cachaça Leblon.

Em 2002 começou a fotografar seus próprios projetos com a série Código Ausente, que recebeu a menção honrosa no Prêmio Porto Seguro de Fotografia. A partir de 2010 passou a dedicar cada vez mais tempo a fotografia autoral, reflexo de uma grande mudança em sua vida. O resultado foi a série Buscadores, ganhadora do Primeiro Prêmio no Concurso Iberoamericanos de Fotografia, e que foi exposto recentemente no FotoFest Houston e no Flash Forward Festival, organizado pela Magenta Foundation. Seu trabalho já esteve em galerias, museus e festivais na Dinamarca, Rússia, EUA, Irlanda, Argentina e Bolivia entre outros países. Seu mais recente trabalho, Elo foi ganhador do Prêmio Marc Ferrez em 2013, além de já ter sido exposto na Galeri Image, Dinamarca, como um ‘Work in Progress”.

Seus workshop A Fotografia Além do Self já foi facilitado no Brasil, Rússia e Dinamarca

Em suas imagens trata de temas ligados ao seu próprio crescimento emocional e espiritual, como o medo de amar, o conflito entre a essência e o ego, a sexualidade, e a oposição entre indivíduo e todo.

No início de 2014 se mudou do Rio de Janeiro para Ibiraquera, Santa Catarina, para poder se dedicar integralmente a meditação e sua fotografia autoral.

Compartilhe isso: